Jovem, que fazia faxina para pagar cursinho, foi aprovado para Medicina na USP!

“Escola pública é fraca!”, “Pessoas sem condições não tem como estudar em escolas boas e caras”, e outras reclamações deste tipo. Quem nunca escutou? Eu, centenas nestes longos anos da minha vida. Sim, o mundo está cheio de gente que reclama, reclama mas não faz nada pra mudar! Pelo menos esse não foi o caso do jovem Guilherme Nobre, de 19 anos, morador de Santos (litoral de São Paulo).

Em entrevistas recentes dadas em diversas mídias, o jovem conta que após visitar seu pai que tinha hidrocefalia, acabou se apaixonando pelo trabalho dos médicos. Porém, ele sabia que não tinha condições para pagar uma faculdade privada mas poderia traçar outro caminho. Prestar vestibular para uma faculdade pública mas antes entrar em um cursinho pago para poder estudar com mais rigor todas as matérias que precisava. O problema era, de fato, pagar o cursinho que também não é nada barato para muitas pessoas.

O que ele fez? Nas horas vagas estudava sozinho dentro de um banheiro de um posto de combustível na cidade onde nasceu. Essa foi a primeira reação do garoto.



“No terceiro ano do ensino médio eu já estava focado, então comecei a fazer cursinho. Na época, era colégio de manhã, técnico de tarde e o cursinho de noite. Foi bem corrido”, disse Guilherme ao portal G1. Como sua mãe trabalhava de frentista em um posto, ele passava por lá e ficava no banheiro por diversas horas estudando.

Ele conta que passou quase um ano estudando no banheiro e mesmo com persistência, ele não foi aprovado no vestibular que prestou em 2016. Desistir? Jamais! Foi em 2017 que ele conheceu a professora Eliane Limonti, de 38 anos. Ela ensinava muito bem e ofereceu um cursinho. O problema era que ele não tinha como pagar. Como ela precisava de alguém para fazer a faxina do local, ofereceu o trabalho para ele. Com o valor que Guilherme recebia, pagava o cursinho.

“Ela me deu uma bolsa e, em troca, eu tinha que organizar as coisas, limpar as salas, passar um pano em tudo, trocar o lixo e lavar os banheiros. Eu dependia daquilo para alcançar meu sonho, então se tornaram coisas simples”, enfatizou ainda em entrevista ao G1.

Em 2017 ele prestou vestibular e novamente não passou. Manteve-se firme nos estudos e no trabalho de faxina. Foi então que no final de 2018 ele prestou novamente e no início de 2019 veio a resposta. Guilherme foi aprovado e ficou em quarto lugar no vestibular de Medicina da Universidade de São Paulo, uma das mais disputadas do país.

Incrível, não? Parabéns Guilherme! Essa é mais uma das  Histórias que Motivam!

Se você tem um sonho, corra atrás dele. Tudo é possível, só depende da gente.

Agora compartilha nas suas redes a história do Guilherme, muita gente precisa entender que, com persistência, dedicação e trabalho, a gente consegue ir longe! Só depende da gente!

Author:

Fabrício Viana é Jornalista (MTB 80753/SP), Blogueiro, Life Coach, Escritor premiado e bacharel em Psicologia. Com mais de 20 mil leitores, Viana é autor do livro O Armário (sobre a homossexualidade), Ursos Perversos (contos homoeróticos), Orgias Literárias da Tribo (coletânea LGBT), Theus: Do fogo à busca de si mesmo (romance homoerótico), entre outros. Leia a sinopse ou compre seus livros somente aqui: fabricioviana.com/livros. Se inscreva no seu Canal No Youtube. Deseja fazer uma sessão de Coach (pessoal ou por vídeoconferência)? Aqui fabricioviana.com/coaching. Para adicionar suas redes sociais (Instagram, Twitter, Youtube, Facebook), aqui fabricioviana.com/redessociais

ASSISTA: Sobre o projeto Histórias Que Motivam. Assista e compartilhe:




Posts relacionados (leia também):

Nosso projeto no Twitter: Leia e Retutia?